quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Ah, saudade....



Ah, saudade....
Não é fácil falar dela quando já se instalou em seu peito
Não tem pena, não tem dó
Logo faz-se um nó
Depois sinto-me muito só


A aproximação é sempre alegre
A despedida, sempre doída
E despedidas, destroem meu coração
Fico sempre ouvindo aquela canção
E lembro-me de cada um à quem disse adeus


Oh, mas não pense que eu culpo alguém
Pois no momento que o gostar se criou
A saudade imediatamente se instalou
Coisa simultânea,automática
Realmente, coisa fantástica


Mas apesar de tudo,é meu refúgio
Meu inimigo, meu aliado
Mas quando os encontrar
Essa dor do peito sumirá
Até o próximo adeus...


Vinícius José 



Nenhum comentário:

Postar um comentário