domingo, 12 de fevereiro de 2012

Podre?Sim, eu sou



Te faço vaidosa, te dou um café
Sem promessas, sem juras, sem fé
Prometo, alimento teu ego
Te faço a melhor entre todas


Só precisa lembrar de mim nas horas de prazer
Ligue-me, vou logo lhe satisfazer
Amor de novela me parece frágil
Vamos parar com esse sentimentalismo


Vamos pôr as cartas na mesa
Cada um só quer se sentir o maior
Sempre atrás do próprio gozo
Egoísta, podre,vaidoso


Vinícius José


2 comentários:

  1. Vinícius,
    eu gosto muito do seu pensamento. Seu estilo é incrivelmente parecido com o meu. Até mesmo o ceticismo... Suas poesias se parecem muito com o que eu escrevia há, mais ou menos, um ano. Mas, se me permite criticar construtivamente, reparo que você, na maioria das vezes, cria uma diálogo, acaba escrevendo o que falaria.
    Tudo isso eu também fazia. Depois de estudar um pouquinho sobre literatura, eu vi que isso não é tão bom, nem tão impactante quanto eu pensava ser.
    É só uma dica. Sucesso e muita luz!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pela dica, e eu realmente tento não me colocar nas poesias, é um pouco difícil para mim, mas não impossível.

    ResponderExcluir