domingo, 4 de março de 2012

Noites de Domingos Solitários


Angustia no café da manhã
Receio de algo, desconheço
Café adoçado por lágrimas sem motivo
Dentes à mostra, sentimentos escondidos
Impulsos ao improvável
Espasmos em direção à solidão 
Conversas íntimas com o travesseiro
Escrevendo sem parar
Olhares desconfiados em frente ao espelho
Náuseas causadas por parisienses
Desilusões empilhadas pelo tempo

Sinto falta de alguém
Alguém que preencha o vazio
Alguém que se importe verdadeiramente
Alguém.

Vinícius José

sexta-feira, 2 de março de 2012

Trapézio





Olhe bem ao seu redor
Não tenha medo de altura
O trapézio pende lentamente
Mais um erro para cair
Tome as doses de conhaque
Mas as equilibre com doses de pudor
Moderar é a chave do caçador
Equilibrar a balança do viver
Seja lobo da sociedade
Ovelha aos olhos do inocente

Vinícius José